10.9.10

amoré




é certo que este está longe de ser o melhor sapato do mundo, não é ortopédico, não faz bem às costas, e rompe-se com alguma facilidade. Este não é um sapato que agrade a gregos e a troianos, e não calha bem a todo o indivíduo. Mas calha bem em qualquer situação; um passeio pela cidade, uma ida ao jardim, uma festa, uma saida à noite, um concerto, uma ida ao teatro, uma viagem, uma tarde no sofá... Porém apenas se o deve usar com gosto, com o gosto de quem quer de facto usa-lo porque o ama.

Este não é um sapato qualquer, é O Sapato.

E eu podia calçar todos os sapatos do mundo, de todas as formas e tamanhos, mas isso não significaria nada, porque nada para mim se compara a este.

É um amor cá de dentro, é uma paixão exaustiva, é um uso desumado até cairem aos pedaços na calçada, é uma veneração que não chega a ter fim.

Meus queridos Vans.






5 comentários:

  1. Os tais! O teu amor por esses bebés, é lindo.

    ResponderEliminar
  2. em tempos também já gostei imenso :)

    ResponderEliminar
  3. não é não gostar, continuo a gostar mas mudei o meu modo de vestir e já não se enquadra tão bem. mas ainda os tenho :)

    ResponderEliminar