23.3.12

temos este amor-ódio que não consigo explicar. depois dou por mim quase à uma da manhã a ver imagens das tuas ruas e um sem número de memórias atravessa a minha cabeça. temos este amor, nas noites vazias em que te sinto saudades em que me revejo em ti numa versão mais adulta, mais cuidada, mais calma. temos este amor, no tempo em que este meu quarto daqui de longe me parece tão oco e em que desejo voltar às tuas ruas e ao teu frio gélido como tu e ao teu tempo cinzento e infeliz como tu. depois, temos este ódio, este ódio em que te amaldiçoou por me teres feito sentir miserável durante tantos dias, este ódio de não teres uma luz igual à da cidade onde agora vivo, que é esbelta e luminosa, este ódio de não saberes bem, porque não tens sabor na comida, este ódio de não seres mais alegre, mais viva. temos este amor-ódio que não consigo explicar. este sentir-me estrangeira no meu próprio país como me senti em casa num país que não era meu e que às vezes, dou por mim quase à uma da manhã a recordar com saudosismo e a querer lá voltar (?). temos este amor, este amor, temos este ódio, que não consigo explicar e que depois quase à uma da manhã me ponho a pensar em ti, Inglaterra e nessa tua maneira de ser tão convencida de ti, que imagina, me fez ficar convencida de mim também. depois, quase à uma da manhã fico a pensar em ti e a pensar na mulher em que me transformaste do alto da tua embriaguez de ti mesma; fizeste-me mais senhora e deste-me background para me aguentar com classe. por isso te tenho este amor, este amor e este ódio, por seres cinzenta e fria e nunca me teres dado luz mas, por me teres feito ver com nitidez no meio de toda a tua escuridão. por isso Inglaterra, às vezes amo-te, amo-te quase à uma da manhã, por pensar em ti e me lembrar que os teus dias mais escuros foram os meus dias mais nítidos. tenho-te este amor, este amor e este ódio e estas saudades tuas, quase à uma da manhã...




5 comentários:

  1. São crueis, esses sítios que nos arrancam um pedaço e se despedem de nós sem uma palavra sequer :)

    Gostava muito da outra música que aqui tinhas, qual era o nome?

    ***

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, como são cruéis...
      http://www.youtube.com/watch?v=klijO1e0O3I é esta a música querida.

      Eliminar
  2. Obrigada minha querida Emília :))

    **

    ResponderEliminar
  3. E não é bom sentir assim esse amor-ódio? Por muita saudade, por muita revolta, por tudo, Inglaterra é um sonho.

    ResponderEliminar